Os autores das Obras de arte

Este projeto não poderia ficar completo, sem que possibilitássemos a hipótese dos nossos hóspedes puderem contemplar (e mesmo adquirir) algo que, sendo “propriedade” da própria Casa, permitisse ser transformado na personificação da memória de uma viagem e de uma estadia que pretendemos seja encara como inesquecível. Neste sentido, disponibilizamos Pinturas, peças de Cerâmica e Fotografias que poderão ser adquiridas a preços comportáveis e se caracterizam pela originalidade e qualidade estética, de artistas que, sendo amadores, não deixam de transparecer grande sensibilidade e um bom-gosto que é imediatamente percetível.

    Álvaro Portugal

     

    Álvaro PortugalÁlvaro Portugal Nasceu no Porto em 1957

    Licenciado em Pintura, pela Escola Superior de Tecnologias Artísticas de Coimbra.

    Licenciado em Engenharia Civil, pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra.

    Vive e Trabalha em Coimbra.

    Expõe regularmente desde 1998.

    … a intenção de representar não objetos mas “sentimentos”, que não encontra correspondência na natureza, de os apoiar em imagens de figuras, são fatores que comportam inevitavelmente uma deformação, que constitui um traço distinto de um estilo, ou de uma linha de expressão.

    Web: facebook.com/alvaro.portugal.ceramica.pintura » 

    António Guerra

     

    António GuerraNasci e cresci em Moçambique e tive desde a infância sempre um contacto muito intenso com a natureza. Poder sair da cidade para o mato era para mim um privilégio que nunca desperdiçava. Primeiro com o meu pai e com o meu saudoso irmão, depois já autónomo, com amigos de infância que como eu partilhavam o gosto pela aventura e pela natureza.

    A vivência na natureza é sempre gratificante, mas julgo que tal ganha uma força enorme quando experenciada em África, onde tudo é grandioso, desde os espaços sem fim, à sua biodiversidade e até ao carácter comportamental que a natureza nos reserva, desde a serenidade absoluta com que nos envolve, anestesia e funde a si própria, até à mais tremenda violência, com fenómenos naturais que, não sendo exclusivos do continente, ganham nele muitas vezes uma expressão avassaladora. Como dizia o grande escritor Moçambicano Rui Knopfli na sua obra poética, a propósito dos rios europeus e africanos … “Belos como os rios são os nomes dos rios da velha Europa. Desvendada, sua beleza flui sem mistérios. Todo o mistério reside nos rios da minha terra. Toda a beleza secreta e virgem que resta está nos rios da minha terra”….

    Foi já adolescente que achei que tais deslumbramentos mereciam bem serem perenemente guardados em imagens. Por isso, com o recurso à fotografia que a tecnologia da época então permitia, comecei a registar em imagem a vivência que fui tendo na natureza. Muitas vezes contra a vontade dos amigos que me acompanhavam que consideravam não valer a pena reproduzir a preto e branco aquilo que aos nossos olhos se revelava tão maravilhosamente colorido e por isso mesmo irreproduzível. Curiosamente são essas imagens a preto e branco que hoje perduram entre as coisas mais importantes que todos conservam como memórias do passado.

    Essa minha paixão pela natureza levou-me muitas vezes ao local que escolheria como o exemplo do paraíso na terra, o Parque Nacional da Gorongosa. Refugiar-me naquele território era como alimentar a alma e interiorizar e sentir aquilo que para mim mais se poderia identificar com a felicidade absoluta.

    Ambicionei durante todo o meu trajecto de aluno liceal vir um dia a licenciar-me em Veterinária, área que mais me permitiria poder exercer a minha actividade em plena natureza. O destino, por razões que em boa verdade desconheço, levou-me, mesmo em cima da decisão final, para outra área do saber, a Medicina. Frequentei o curso na Faculdade de Medicina da Universidade de Lourenço Marques até ao final do 5º ano, tendo concluído o último ano já na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, onde ainda hoje me mantenho como professor de pediatria.

    Foi assim já em Portugal e ao fim de muitos anos que renasceu em mim a vontade de viver e de voltar a fotografar a natureza, desta vez, muito particularmente a avifauna. Primeiro, com o acompanhamento na net de tudo o que ia vendo publicado sobre as aves, sobretudo as fotos belíssimas de tantos excelentes fotógrafos, depois, pelo contacto directo com alguns desses fotógrafos, e finalmente, com a compra de material fotográfico específico para o efeito. Primeiro com telescópio acoplado a uma câmara (digiscoping) e posteriormente com objectivas diversas, procurando a preciosa ajuda que a evolução tecnológica foi dando aos fotógrafos.

    Foram desde então muitas as viagens, quer em Portugal, quer noutros países. Vivências retratadas em texto e imagem em vários livros, perpetuando assim aventuras vividas na companhia de amigos unidos pelo mesmo encanto que é a fotografia de aves em total liberdade no seu ambiente natural.

    Sou apenas um fotógrafo amador, sem qualquer formação específica a não ser a que fui interiorizando pelo contacto e vivência com vários e excelentes fotógrafos e, pelo repetido treino em contacto directo com as aves na natureza.

    Talvez por isso, e por reconhecer o quanto ainda tenho que aprender, nunca correspondi a alguns desafios que me foram feitos para expor as minhas fotos. Até que fui confrontado com o anúncio de umas jornadas médicas organizadas pelo meu querido primo José Manuel Poças, onde no programa se anunciava que iria decorrer durante as jornadas uma exposição de fotografias de aves da minha autoria. Percebi então que não tinha escapatória possível. Talvez só mesmo assim, alguma vez faria uma exposição de fotografias minhas.

     

    Nota: Links para os Livros publicados

    Aves na natureza no Pantanal – Mato-grosso – Brasil »

    Aves na natureza na Colômbia, Costa Rica e Panamá »

    Aves na natureza na Costa Rica »

    Aves sem fronteiras »

    Aves na natureza em Portugal e Espanha »

    Aves na natureza em África »

    Aves na natureza em Portugal »

    Aves na natureza em Portugal II »

    António Guerra

    Eduardo Carqueijeiro

     

    É, entre outras coisas, pintor.

    Em constante atividade, tem organizado e/ou participado em exposições colectivas, pintura ao ar livre, encontros, conferências, performances, publicações, espectáculos musicais, para além de ser monitor de cursos livres de pintura e ilustrador de inúmeros trabalhos editados. É ainda um profissional dedicado à sua profissão e paixão, com experiência profícua e vasta em Portugal e no estrangeiro.

    Eduardo CarqueijeiroNatural de Setúbal, formou-se em arquitetura pela Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa, tendo tido como professores os mestres Frederico Jorge e Daciano Costa, bem como António Sena e mestre João Hogan no AR.CO, onde estudou pintura e gravura (1976-1981). Especializou-se ainda nas escolas de arte de Londres – Slade School of Art e Central St. Martins College of Art & Design (em 1998 e 2011). Tem o Master of Science pela Universidade de Gales, Aberystwyth.

    Concilia a sua experiência profissional com a sua prática artista através duma fusão entre arte e ciência, do qual tira partido nas suas exposições, performances, trabalho de ilustração e curadorias.

    Como artista tem a experiência e a prática de cerca de 30 anos a pintar ininterruptamente, tendo participado em 113 exposições coletivas e efetuado 28 exposições individuais.

    A poesia sempre tem sido fonte de inspiração mas também já ilustrou inúmeros livros de poesia e prosa.
    Tem a medalha de mérito cultural da cidade de Setúbal. Está representado em coleções nacionais e internacionais. Faz ainda parte de vários coletivos culturais locais (como o Synapsis) e internacionais.

    Web: eduardocarqueijeiro.com »

    Morada:
    Rua Álvaro Castelões, 49 - 1º e 2º
    2900-215 Setúbal
    Telefone: 962 634 118
    E-mail: ipeixoto@ohmyguest.pt

    Google Translate

    Política de Privacidade